Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Veja o mapa de todas as cidades do mundo que já baniram sacos de plástico

Mäyjo, 27.02.14

Veja o mapa de todas as cidades do mundo que já baniram sacos de plástico

 

O portal de informação Plastic Free Times, detido pela Plastic Pollution Coalition (PPC), elaborou um mapa de toda as cidades do Planeta que já baniram os sacos de plástico, um grafismo que inclui ainda as cidades onde há uma taxa de utilização de sacos, ou onde são proibidas as garrafas de plástico.

O mapa não refere nenhuma cidade portuguesa.

A Plastic Pollution Coalition é um projecto do Earth Island Institute, uma organização de interesse público e sem fins lucrativos que apoia pessoas que estão a criar soluções para proteger o nosso Planeta.

O objectivo da PPC é trabalhar junto de indivíduos, organizações e negócios que lutam para acabar com a poluição derivada do plástico.

 

Veja o mapa.

 

in: Green Savers Cabo Verde

Alterações climáticas em Portugal

Mäyjo, 26.02.14

Na RTP, com entrevista a Francisco Ferreira, da Quercus: "O clima na Península Ibérica pode ficar cada vez mais seco e mais quente até ao final do século. A súbida do nível do mar poderá mesmo custar a Portugal 14 por cento do PIB. Estas são algumas das consequências das alterações climáticas anunciadas pelos cientistas."

 

A história da água engarrafada

Mäyjo, 25.02.14

Pra quem é muito jovem pra se lembrar, a garrafinha d´água é uma invenção relativamente recente.

Antigamente, se alguém dissesse que queria vender água engarrafada, provavelmente achavamos uma ideia maluca, tipo vender areia na praia. Isso até eles a indústria ter criado um plano para nos fazer acreditar que precisavamos disso.

 

 

Para ver e pensar...

 

Amb3E colabora com Interpol no combate ao comércio ilegal de lixo electrónico

Mäyjo, 25.02.14

Amb3E colabora com Interpol no combate ao comércio ilegal de lixo electrónico

 

A Amb3E (Associação Portuguesa de Gestão de Resíduos) está a colaborar num projecto internacional de combate ao comércio ilegal de lixo electrónico coordenado pela Interpol –Countering WEEE Illegal Trade (CWIT). Esta colaboração está a ser feita através do WEEE Forum, uma plataforma europeia de cooperação e debate constituída por 39 sistemas de gestão de Resíduos de Equipamentos Eléctricos e Electrónicos (REEE).

 

Lançado por um consórcio internacional de sete organizações, o projecto irá disponibilizar uma série de recomendações para a Comissão Europeia e as autoridades legais, que as deverá auxiliar a combater o comércio ilegal de REEE. Fundado pelo 7º Programa-Quadro da União Europeia, este projecto de investigação em segurança tem a duração de dois anos e reúne peritos das áreas de gestão de REEE, investigação criminal, segurança da cadeia logística e gestão de bases de dados.

 

Dentro deste projecto, a Amb3E será responsável por fornecer informações essenciais sobre a realidade portuguesa, como dados quantitativos sobre recolhas de REEE; bem como identificar os stakeholders envolvidos na indústria dos REEE, em Portugal, e os mecanismos que reforçam o correcto encaminhamento destes resíduos para os canais formais.

 

Apenas cerca de três milhões de toneladas, de um total estimado em 8 milhões de REEE, foram oficialmente recolhidas, tratadas e reportadas às autoridades europeias em 2010. Este lixo electrónico contém materiais como ouro, cobre e paládio, o que o torna muito valioso no mercado negro, atraindo grupos de crime organizado, para além de operadores ilegais individuais.

 

Contudo, estes resíduos contêm também substâncias nocivas como o mercúrio e o cádmio. Por isso, o desmantelamento ilegal de REEE, muitas vezes realizado em países mais pobres, leva a problemas enormes em termos de saúde pública e poluição ambiental. Por outro lado, a União Europeia está a perder uma vasta quantidade de terras raras (17 minérios fundamentais para o fabrico de produtos tecnológicos de última geração) e outros minerais importantes por causa destas actividades ilegais em crescimento, taxas de cumprimento baixas e actividades de fiscalização limitadas.

 

“O projecto CWIT foi lançado para identificar as lacunas em termos de políticas, regulação, e procedimentos e para sugerir melhorias tangíveis Estas são questões de vital importância e necessitam de uma maior atenção e fiscalização no contexto internacional”, explicou em comunicado o director-geral da Amb3E, Jorge Vicente.

 

O consórcio CWIT é composto por parceiros que têm uma vasta experiência na área dos REEE, na investigação criminal e na gestão de bases de dados: a Interpol, o WEEE Forum, a Universidade das Nações Unidas (UNU), Zanasi & Partners (Z&P), Compliance and Risks (C2P), a Cross-Border Research Association (CBRA) e o Instituto de Investigação Inter-regional de Crime e Justiça das Nações Unidas (UNICRI).

 

Foto:  Inf-Lite Teacher / Creative Commons


in: Green Savers

Pág. 1/14